Transparência | Rigor | Isenção | Verdades Bíblicas
  

A fragilidade humana

A Humanidade é propensa em acusar com facilidades, no entanto, quando se fala em ‘provar‘ tudo fica mais complicado. Isso não significa que não se tenha o direito de ‘julgar’, pelo contrário, a verdadeira justiça está além de apontar, está nos detalhes ocultos.


Em São Tomé e Príncipe, de acordo ao trabalho cinematográfico, da jornalista Maria Conceição de Deus Lima, os maus tratos aos idosos são pelo motivo de serem “fitxicêlu”, ou seja, feiticeiros.

Ora esta acusação, muitas vezes baseadas em opinião pessoal do acusador(a), além de influenciar a opinião pública, é fatal para os idosos pobres e doentes, cuja a debilidade mental não ajuda na defesa do acusado.


A Sociedade actual

A falta de estruturação social na prevenção e acompanhamento da velhice, sobretudo em casos isolados, estudo de casos e a falta de conhecimento bíblico sobre a questão tem provocado motivos para insensibilidades entre uns e outros.

Tal como noutros países, perda de valores sociais, sobretudo, o respeito, o amor ao próximo, entre outras insensibilidades humanas, justifica-se que “por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.” (Mt 24:12). Portanto, o indivíduo sem Deus é está propenso a situações de lástima.


A Visão Bíblica sobre o caso de Feitiçaria

Não podemos ignorar a existência de feiticeiros. Aliás, segundo Adam Clarke, teólogo e comentarista bíblico, “se não houvesse bruxas, uma lei como essa nunca fora feita”, citando o versículo de Ex. 20:18.
O Senhor Deus nunca cria leis para caos social, independentemente de qualquer situação, o cristão é chamado a ter sabedoria para entender e saber agir em cada situação.

Deus quando criou a lei de pena de morte, na altura, para os que invocavam os espíritos contrários, não citou ser pessoas idosas, pobres e indefesas. Aliás, lembremos que todos, em qualquer idade podiam se oferecer ao mal e ter esse trágico fim.

No entanto, a má interpretação do versículo de Ex. 20:18, é um caso visível em muitas pessoas que não se interessam em conhecer a Vontade de Deus.

Segundo a Bíblia, além dos casos de feitiçaria ou bruxaria são punidos, com a mesma lei, todos os augúrios, mágicos, necromantes, encantadores e praticantes de toda a espécie de ocultismo.
Segundo o teólogo e comentarista bíblico Albert Barnes “a prática da bruxaria foi, portanto, um ato de rebelião contra o Senhor e, como tal, foi um crime capital.”, defende ele que “As passagens sobre o assunto nos Profetas, bem como as da lei, trazem uma lição para todas as idades. (Isaías 8:19 ; 19: 3 ; 44:25 ; 47: 12-13 ; Miquéias 5:12 , etc


Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniquidade e idolatria. (…)

1 Samuel 15:23

As nossas práticas

A prática de atos agressivos, físicos, ficaram no velho testamento, pois como se pode ver a nossa luta hoje não é contra pessoas, mas contra as forças do mal, em oração, jejuns e vigílias:

Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.

Efesios 6.12

Muito de nós assistimos TV’s, compramos DVD’s, filmes de magia, consultamos jogos de ocultismo nas redes sociais, etc., e mesmo assim não somos condenados. Aliás, alguns até chamam de diversão. Portanto, acusar aos pobres indefesos e idosos de feitiçaria é um acto covarde, desumano e anticristão.

O Cristão é chamado inclusive para amar até os seus inimigos:
“eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus;” – Palavras de Jesus (Mateus 5:44).


“Não julgueis, para que não sejais julgados.”

Mateus 7:1

Por outro lado, somos aconselhados a não fazer julgamentos precipitados, para não termos o mesmo fim precipitado. Como acima vimos, é preciso entender que, hoje em dia, muitos ditos “feiticeiros” são indivíduos ricos, respeitados, inclusive aplaudidos em vários palcos por conta de sua magia e obras de ocultismo, sem falar de alguns líderes de seitas suspeitas de práticas anti-bíblicas.

Aliás, devemos lembrar que apenas Deus tem o poder de julgar, condenar e punir o indivíduo errante do Seu caminho.


Portanto, acusar alguém de feitiçaria, sem um devido estudo, análise e provas também é considerado um crime e Deus não deixará impune (Pv. 19:9), pois seria um falso testemunho.

Isso não significa que aplaudimos esse tido de obra das trevas, pelo contrário, o homem de Deus deve denunciá-las, à luz das escrituras:

A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz.

Romanos 13:12

E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as.

efésios 5:11

E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.

João 3:19

Mas nós, que somos do dia, sejamos sóbrios, vestindo-nos da couraça da fé e do amor, e tendo por capacete a esperança da salvação; 1 Tessalonicenses 5:8

2
0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Inscreva-se para receber as novidades!

Visitantes Online

Nº de utilizador(es):
0 online