Transparências | Rigor | Isenção | Verdades Bíblicas

Sem categoria

Minha timidez é uma virtude?


 

Às vezes fazemos certas perguntas que já parece ter uma resposta. Mas isso não vem ao caso. Bem, respondendo a essa questão, podemos reflectir o seguinte:

 

  • Se a virtude é deixar alguém fora do baralho…

Já notou que todos os tímidos ficam sempre com os “seus problemas” só para eles mesmos? E a consequência disso?, é muita!… Uns frustram-se, outros se matam, e outro fazem coisas estranhas… Na verdade, é necessário perceber que a virtude é uma peça rara e maravilhosa, enquanto que a timidez não. Sabe o que a timidez provoca? A timidez nos dá a sensação do abandono, por isso que a Bíblia diz que “aos tímidos… não entrarão no Reino dos Céus” – Apocalipse 21:8.

Pois é, se alguém que deseja sempre ficar consigo mesmo, só com seus problemas, vai entrar no Céu de Glória cheio de multidão de gente, com certeza ele(a) vai se sentir uma “carta fora do baralho”, certo?

 

  • O que posso fazer então?

Ué, se comunica, participa, interage, clame a Deus, chora pra você mesmo, porque isso não é uma virtude não, certo?, kkkkk…

 

Talvez essa reflexão lhe ajudou muito, certo? Então nos diga o seu ponto de vista que vamos reflectir consigo uma melhor saída, amém?

2+

O Mercado de Trabalho e as Virtudes Cristãs


Observações: Este artigo foi extraído do site Prazer da Palavra, in “O Mercado de Trabalho e as Virtudes Cristãs, por Wiliam Douglas”. A RGOSPEL STP Lda, não se responsabiliza pelo seu conteúdo. Apenas republicamos para edificação e ampliação do conhecimento.

 

Ser cristão ajuda ou atrapalha a vida profissional? As ordenanças bíblicas têm alguma relevância para o sucesso na carreira e nos negócios? Em um mundo tão competitivo e desleal, será que vale a pena confiar nas orientações de um livro tão antigo?

 

Essas são perguntas que ouço frequentemente. Em minha carreira, pude testemunhar a extraordinária força dos conselhos da Bíblia. O mercado de trabalho, em geral, não está preocupado com Deus nem com as coisas espirituais, mas com resultados, lucro e crescimento. E Deus não dá crescimento e prosperidade apenas através de suas bênçãos. Deus também nos dá essas coisas através de dicas, conselhos e orientações ao longo de Sua Palavra.

Se uma pessoa não-cristã seguir os conselhos da Bíblia, certamente será beneficiada em sua vida profissional, pois os conselhos são muito bons. Se deixar Deus participar de sua vida, então terá ainda mais sucesso (Prov. 16:3, Deu 8: 17 ss, Prov. 10:22 e Salmo 127). Se aceitar Jesus, então, esse sucesso – que durará no máximo cem anos – será seguido de uma vida eterna no céu. O que assusta, contudo, é que muitos cristãos dizem ter fé em Jesus, mas não acreditam que os ensinamentos da Bíblia servem para a vida moderna, para o trabalho, para os negócios e assim por diante. Muitos crentes acreditam que ficarão “para trás” se forem corretos, leais e honestos.

 

A fé em Jesus também deve incluir a fé no sentido de que, seguindo as orientações dadas por Deus na vida secular e cotidiana, teremos bons resultados. Esses resultados virão através da bênção de Deus, da fé, e também como resultado por estarmos diante de bons conselhos e orientações. O mercado de trabalho precisa, desesperadamente, de uma série de qualidades e virtudes, cada dia mais raras. O que mais falta hoje são pessoas honestas, leais e dedicadas, pessoas com capacidade e desejo de aprender, de liderar, de servir, de fazer a diferença, pessoas com espírito de equipe e dispostas a contribuir com os outros. Seja como profissional liberal, empregado, empresário, sócio, parceiro ou o que for, quem possuir essas qualidades será admirado, apreciado e procurado pelo mercado de trabalho.

O interessante é que se você reparar, um bom crente, que seja cumpridor dos mandamentos bíblicos, será necessariamente portador dessas inúmeras virtudes em falta no mercado. Só de ser alguém que trata os outros como gostaria de ser tratado, que “ama ao próximo como a si mesmo”, o crente já é um parceiro de trabalho especial e raro, seja como sócio, empregado ou empregador.

A experiência mostra que as pessoas que se apressam em enriquecer, ou são desonestas, ou defraudam os outros, ou que mentem (erros condenados na Bíblia), podem até conseguir algum sucesso, mas não será permanente, não passará de uma ilusão. Ao contrário, aqueles que procuram adquirir sabedoria (Provérbios, cap 3), que trabalham (Salmos 112 e 128), que agem com ética e correção, que fazem suas tarefas com dedicação (Col 3: 23), são pessoas que com o tempo serão percebidas e premiadas por sua conduta.

 

Um cristão, cumpridor dos dez mandamentos, não colocará valor demais em coisas materiais, terá um rendimento melhor por fazer pausas na rotina do trabalho (o dia de descanso), não perderá tempo com adultério, nem fofoca; não furtará, irá trabalhar para conseguir o que deseja; não ficará cobiçando, ou seja, irá cuidar da sua vida. Um cristão que apresente os frutos do Espírito, será alguém agradável de se ter ao lado. Quem não quer estar perto de alguém que tenha amor, paz, paciência, mansidão, bondade e temperança?

Muitos empresários só pensam neles mesmos, são gananciosos, trapaceiros, exploram seus empregados, não os tratam com educação etc. Um empresário que seguir os mandamentos da Bíblia não terá nenhum desses defeitos. Será como os descritos em I Timóteo 6:17.19. Muitos empregados ficam enrolando, furtando, só trabalham quando estão sendo vigiados. Mas nenhum que siga o ensino de Efésios 6: 5 a 9 será assim, ou seja, será um funcionário exemplar.

 

Em resumo, ao agir de acordo com os valores bíblicos, não só a pessoa obterá o favor do Pai, que abençoa os que O seguem, mas se transformará, naturalmente, em um profissional raro, daqueles que todos querem ter por perto ou contratar. O único lugar aonde sucesso e dinheiro vêm antes de trabalho é no dicionário. E um bom crente é trabalhador, caprichoso, sabe lidar com o dinheiro (não é escravo do amor ao dinheiro), e nem está disposto a abrir mão de seus princípios para alcançar o sucesso. O resultado desse tipo de conduta é obter respeito, sucesso, dinheiro e, mais do que tudo, a aprovação d’Aquele que nos amou primeiro, a ponto de dar Seu Filho por nós.

2+

O Homem bem Sucedido


Observações: Este artigo foi extraído do site Estudo da Bíblia, in “O Homem Bem Sucedido, por Allen Dvorak”. A RGOSPEL STP Lda, não se responsabiliza pelo seu conteúdo. Apenas republicamos para edificação e ampliação do conhecimento.

 

O que deveria um homem fazer com sua vida? Temos apenas uma vida para viver e há tantas metas que um homem pode querer atingir! Mas o que um homem deveria fazer de modo a tornar sua vida um sucesso? O sucesso na vida pode parecer certamente ser um alvo ilusório. Temos que decidir em que constitui o “sucesso” e então devemos decidir se, e quando, atingimos a meta. Ao envelhecermos, descobrimos muitas vezes que aquelas coisas que pensávamos que constituíam o sucesso, na verdade enchem nossa vida de vazio.

Os jovens, que estão no início da vida, defrontam com esta questão: Que farei com o resto de minha vida? Todos nós temos que responder a essa mesma pergunta, mas este estudo se concentrará sobre a resposta que um homem tem que dar. Naturalmente, a respeito de algumas coisas, uma vida bem sucedida, tanto de homens como de mulheres, será a mesma coisa, mas há algumas responsabilidades especiais que cabem ao homem.

É natural, entre os rapazes, nos anos antes da maioridade, procurar um modelo entre aqueles homens que a sociedade considera bem sucedidos. A sociedade muitas vezes glorifica o atleta que possui capacidade física excepcional, mas que demonstra caráter inferior. Muitas pessoas imaginam que o homem perfeito é aquele que tem tremenda força física e, na verdade, a sociedade o admira por isso. A sociedade também mostra o homem com poder ou riqueza como um sucesso. Muitas vezes, tais indivíduos passaram por cima de outros, em sua decidida busca de satisfação de desejos mundanos, mas a capacidade para manejar tais poderes é admirada por muitos. Como observamos anteriormente, é frequente esses indivíduos atingirem o topo só para descobrir que ele vale menos do que tinham imaginado.

Precisamos nunca esquecer que Deus criou o homem. Ele nos conhece melhor do que a nós mesmos. Além disso, Deus sabe o que satisfará o homem; ele sabe que tipos de realizações são de valor duradouro e satisfarão o lado espiritual do homem. Que tipo de homem Deus considera um homem perfeito, um homem bem sucedido? A Bíblia é o manual de Deus para o homem piedoso, e como tal contém informação de como um homem deverá agir em cada relação que ele tiver.

A verdade é que o homem é bem sucedido nesta vida somente quando serve seu Criador. O profeta Miqueias escreveu: “Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o Senhor pede de ti: que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus” (Miqueias 6:8). O homem que deseja andar com Deus humilhar-se-á e obedecerá aos mandamentos do evangelho para crer em Jesus, arrepender-se de seus pecados, confessar sua fé em Cristo e ser batizado (Marcos 16:16; Atos 2:38; Romanos 10:9-10).

Quando um homem se torna um cristão, ele tem responsabilidade para com outros cristãos, por causa da relação que ele tem com Cristo. Ele buscará outros cristãos com quem adorar e trabalhar (Hebreus 10:24-25). Ele precisa crescer em seu conhecimento da palavra de Deus, de modo que seja capaz de partilhar a mensagem da reconciliação com outras pessoas (2 Pedro 3:18; Hebreus 5:11-14). Cada parte do corpo de Cristo, a igreja, deverá contribuir para o bem do todo, usando todas as habilidades que cada um possui (Efésios 4:11-16). Os homens precisam tentar qualificar-se para servir como diáconos ou presbíteros na congregação local. Desenvolver o caráter espiritual que o Senhor exige de diáconos e presbíteros exige tempo e persistência no estudo (1 Timóteo 3; Tito 1:5-9).

O homem bem sucedido de Deus pode não ser um homem rico ou influente, mas é um bom cidadão. Ele mostra respeito a Deus obedecendo às leis da terra até onde elas não conflituem com a lei de Deus. Ele sabe que Deus ordenou ao governo que providencie a ordem na sociedade e, assim, ele obedece à lei como se estivesse obedecendo ao próprio Deus. O Espírito Santo ordena: “Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas. De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus, e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação. . . . É necessário que lhe estejais sujeitos, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência” (Romanos 13:1-2, 5). Assim, o homem que agrada a Deus anda correto diante dos outros, pagando seus impostos e mostrando respeito pelas leis que existem na terra (1 Pedro 2:11-17).

O homem bem sucedido é um bom trabalhador. Como empregado, ele trabalha pelo salário que recebe, sabendo que esse trabalho é, na realidade, um contrato entre o empregador e o empregado. Ele trabalha de tal modo que possa manter uma boa consciência, tanto diante do seu empregador como de Deus. Paulo escreveu: “Servos, obedecei em tudo ao vosso senhor segundo a carne, não servindo apenas sob vigilância, visando tão somente agradar homens, mas em singeleza de coração, temendo ao Senhor. Tudo quanto fizerdes, fazei-o de coração, como para o Senhor, e não para homens, cientes de que recebereis do Senhor a recompensa de herança. A Cristo, o Senhor, é que estais servindo” (Colossenses 3:22-24). O homem de Deus é honesto e operoso, trabalhando de modo que possa ser capaz de ajudar outros (1 Tessalonicenses 4:9-12; 1 Pedro 4:15; 2 Tessalonicenses 3:6-12; Efésios 4:28).

Se um homem tem esposa e filhos, ele precisa providenciar as necessidades físicas deles, por meio dos frutos do seu trabalho. Desde o começo, Deus tem dado ao homem a responsabilidade de dar o que a família necessita (Gênesis 3:17-19). De fato, o homem que não quer prover a satisfação das necessidades de sua própria família é pior do que um incrédulo (1 Timóteo 5:8). Não há nenhuma garantia que procurando um emprego vai ser fácil, mas o homem que é preguiçoso e não está disposto a trabalhar para sustentar sua própria família deve se envergonhar. A Bíblia diz: “Se alguém não quer trabalhar, também não coma” (2 Tessalonicenses 3:10).

O homem bem sucedido de Deus, contudo, tem outras responsabilidades para com sua família além de cuidar das suas necessidades físicas. Ele tem que amar sua esposa como ama a si mesmo. Ele é o cabeça de sua esposa, mas a conduz com amor em vez de força. O apóstolo Paulo escreveu: “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água e pela palavra, para apresentar a si mesmo Igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem cousa semelhante, porém santa e sem defeito. Assim também os maridos devem amar sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama” (Efésios 5:25,29). Tal homem não tira vantagem da submissão bíblica de sua esposa, mas em vez disso cuida dela como cuidaria de seu próprio corpo. É comum pessoas pensarem que um homem tem que dominar sua esposa com dureza de modo a provar que ele é verdadeiramente um homem! Nas mentes de tais pessoas, ser o cabeça da esposa supõe-se que permita ao esposo demonstrar raiva ou amargura para com sua esposa. Mas Deus aconselha gentileza, bondade e ternura (Efésios 4:31-32; Colossenses 3:12-13, 19; 1 Pedro 3:7).

O homem bem sucedido de Deus é também o chefe espiritual da família. Os filhos são uma dádiva do Senhor (Salmo 127:3) e assim o pai bem sucedido ensina a seus filhos o caminho do Senhor (Efésios 6:4). Para conseguir sucesso a este respeito, ele precisa trabalhar diligentemente, instruindo seus filhos conforme ele tem oportunidade (Deuteronômio 6:4-9). Naturalmente, ele próprio precisa aprender e andar nesse caminho para que sua família possa ver seu bom exemplo. Ele precisa ser paciente com seus filhos, de modo que eles não fiquem desanimados (Colossenses 3:21), justamente como Deus é paciente com seus filhos espirituais, mas ele não aceita que os filhos façam coisas erradas.

O homem que tem bom sucesso na vida é aquele que permite a Deus dirigir seus passos em qualquer situação, como um membro do corpo espiritual de Cristo, a igreja, como um cidadão, um empregado e um esposo ou pai. No dia do Juízo Final, o Senhor não perguntará com que velocidade uma pessoa pode correr, a que distância pode chutar uma bola, quanto dinheiro acumulou através de negócios, ou mesmo quão famoso foi na vida. Cada um de nós será julgado pelo manual do sucesso do Senhor (João 12:48). A medida de nosso sucesso será como seguimos o projeto do Senhor para um homem piedoso. O mundo, certamente, mede os homens por um padrão diferente, mas é a Deus a quem devemos prestar contas.

1+

O Cristão e o Emprego


Observações: Este artigo foi extraído do site Estudo da Bíblia, in “O Cristão eo Emprego, por Gary Fisher”. A RGOSPEL STP Lda, não se responsabiliza pelo seu conteúdo. Apenas republicamos para edificação e ampliação do conhecimento.

 

Quando Deus criou Adão no jardim do Éden, deu-lhe um trabalho para realizar: cultivar e cuidar do jardim. Isso foi antes do homem pecar e mostra que Deus pretendia que o homem trabalhasse mesmo que o pecado não tivesse entrado no mundo. Apocalipse 7:15 mostra que os fiéis no céu “servem” a Deus. O céu não deve ser encarado como uma folga infindável, mas sim como um período em que “trabalhamos” para o Senhor. Esse é o ideal do homem.

Quando Adão caiu, mudou a natureza de seu trabalho. Deus amaldiçoou o solo, de modo que produzisse espinhos e abrolhos (Gênesis 3:17-19). O trabalho do homem ficou mais difícil e laborioso. Dali em diante, o homem ganha o pão com o suor do seu rosto.

Como em todo aspecto da vida do homem, Deus deu instruções claras sobre o homem e o seu trabalho. Vamos examinar essas instruções com cuidado.

 

Qual a razão de trabalhar?

A Bíblia oferece várias razões por que o homem deve trabalhar. Primeiro, é a ordem de Deus. Paulo deixou isso bem claro em 2 Tessalonicenses 3. É óbvio que alguns dos tessalonicenses não estavam trabalhando. Paulo os repreendeu fortemente e os exortou para que todos trabalhassem. “Porque, quando ainda convosco, vos ordenamos isto: se alguém não quer trabalhar, também não coma. Pois, de fato, estamos informados que, entre vós, há pessoas que andam desordenadamente, não trabalhando; antes, se intrometem na vida alheia. A elas, porém, determinamos e exortamos, no Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando tranquilamente, comam o seu próprio pão” (2 Tessalonicenses 3:10-12). Em segundo lugar, o homem deve trabalhar para sustentar a si e aos que dele dependem. “Contudo, vos exortamos, irmãos, a progredirdes cada vez mais e a diligenciardes por viver tranquilamente, cuidar do que é vosso e trabalhar com as próprias mãos, como vos ordenamos; de modo que vos porteis com dignidade para com os de fora e nada venhais a precisar” (1 Tessalonicenses 4:10-12). Devemos ganhar o próprio pão sem contar com a ajuda das outras pessoas. “Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente” (1 Timóteo 5:8). Deve ficar claro que o trabalho não é uma opção deixada a nosso critério; Deus nos manda trabalhar. Em terceiro lugar, devemos trabalhar para podermos ajudar as outras pessoas. “Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado” (Efésios 4:28).

Há, obviamente, exceções à ordem de trabalhar. Quem é esposa e mãe tem uma tarefa especial a desempenhar no lar (1 Timóteo 5:14; Tito 2:5). A Bíblia não sugere que as mulheres devam trabalhar fora além de trabalharem em casa. O papel de esposa e mãe geralmente é um trabalho de tempo integral. Há aqueles cuja saúde não permite que trabalhem. Há circunstâncias especiais em que alguém pode não estar apto para trabalhar ou em que alguém que trabalha ainda precisa de auxílio. Muitas dessas situações são mencionadas na Bíblia (veja Atos 2:44-45; 4:34-35; 6:1-6; 11:27-30; 2 Coríntios 8:13-15).

De modo geral, porém, devemos trabalhar e nos sustentar. Há quem não ache que isso seja necessário. Às vezes, os jovens que têm idade suficiente para se sustentar preferem ficar sem fazer nada e deixar que o papai e a mamãe cuidem deles. Alguns não trabalham simplesmente porque não encontram o emprego que lhes agrade, ou porque ninguém lhes veio oferecer um emprego. O desemprego é um fato de vida, mas o cristão que está se esforçando para agradar a Deus pode fazer da procura de um emprego um trabalho de tempo integral.

 

No emprego

Devemos ser aplicados em tudo o que fazemos (Eclesiastes 9:10). O livro de Provérbios trata muito do ocioso, o homem que se recusa a trabalhar. O preguiçoso faz tudo o que deseja, menos trabalhar. “O preguiçoso morre desejando, porque as suas mãos recusam trabalhar” (Provérbios 21:25). Inventa desculpas para evitar o trabalho: “Diz o preguiçoso: Um leão está lá fora; serei morto no meio das ruas” (Provérbios 22:13). Está sempre precisando de descanso, de relaxamento e de folga: “Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso” (Provérbios 6:10). O escritor compara uma porta que abre e fecha com o preguiçoso que vira na cama. O trabalho necessário para levar a mão do prato à boca para se alimentar o deixa completamente exausto, e ele precisa então descansar de novo (Provérbios 26:13-16).

O preguiçoso recebe a instrução de ser aplicado: “O preguiçoso não assará a sua caça, mas o bem precioso do homem é ser ele diligente” (Provérbios 12:27). Ele deve olhar para o futuro e planejar o seu sustento. “O que ajunta no verão é filho sábio, mas o que dorme na sega é filho que envergonha” (Provérbios 10:5). O padrão apresentado é a formiga: “Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos e sê sábio. Não tende ela chefe, nem oficial, nem comandante, no estio, prepara o seu pão, na sega, ajunta o seu mantimento” (Provérbios 6:6-8). A formiga trabalha sem ser mandada, e se prepara para os dias de escassez. Algumas pessoas pensam somente nas necessidades momentâneas, esquecendo-se de que precisarão comer amanhã também.

Provérbios é claro sobre as consequências da preguiça: a pobreza e a necessidade (Provérbios 6:10-11). Apresenta-se uma descrição completa do campo de um preguiçoso: “Passei pelo campo do preguiçoso e junto à vinha do homem falto de entendimento; eis que tudo estava cheio de espinhos, a sua superfície, coberta de urtigas, e o seu muro de pedra, em ruínas. Tendo-o visto, considerei; vi e recebi instrução. Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso, assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, a tua necessidade, como um homem armado” (Provérbios 24:30-34). O ocioso acabará sendo dominado pelo diligente, e ainda assim não terá nada (Provérbios 12:24; 13:4).

Vários textos dão instruções específicas ao servo (em nossa sociedade, o empregado o equivale em muitas situações). “Quanto a vós outros, servos, obedecei a vosso senhor segundo a carne com temor e tremor, na sinceridade do vosso coração, como a Cristo, não servindo à vista, como para agradar a homens, mas como servos de Cristo, fazendo, de coração, a vontade de Deus; servindo de boa vontade, como ao Senhor e não como a homens, certos de cada um, se fizer alguma cousa boa, receberá isso outra vez do Senhor, quer seja servo, quer livre” (Efésios 6:5-8). “Servos, obedecei em tudo a vosso senhor segundo a carne, não servindo apenas sob vigilância, visando tão somente agradar homens, mas em singeleza de coração, temendo ao Senhor. Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens, ciente que recebereis do Senhora recompensa da herança. A Cristo, o Senhor, é que estais servindo; pois aquele que faz injustiça receberá em troco a injustiça feita; e nisto não há acepção de pessoas” (Colossenses 3:22-25). “Quanto aos servos, que sejam, em tudo, obedientes ao seu senhor, dando-lhe motivo de satisfação; não sejam respondões, não furtem; pelo contrário, dêem prova de toda a fidelidade, a fim de ornarem, em todas as cousas, a doutrina de Deus, nosso Salvador” (Tito 2:9-10). Basicamente, as instruções de Deus para os que trabalham para outra pessoa são as seguintes: Œ Devem submeter-se ao patrão, obedecendo às suas instruções (a exceção a essa regra acha-se em Atos 5:29); 1. Não devem reclamar nem ser briguentos (veja Lucas 3:14); 2. Devem ser pacientes ainda que tratados injustamente; 3. Devem trabalhar esforçadamente, mesmo longe da supervisão do chefe; 4. Devem trabalhar como se estivessem servindo ao Senhor; ‘ Jamais devem roubar daqueles para quem trabalham, porque a vida deles deve ostentar a doutrina de Cristo.

As Escrituras também fornecem o padrão de conduta para os senhores (na sociedade atual, esses princípios podem ser aplicados aos que supervisionam os que trabalham). “E vós, senhores, de igual modo procedei para com eles, deixando as ameaças, sabendo que o Senhor, tanto deles como vosso, está nos céus e que para com ele não há acepção de pessoas” (Efésios 6:9). “Senhores, tratai os servos com justiça e com equidade, certos de que também vós tendes Senhor no céu” (Colossenses 4:1). Os patrões devem tratar com justiça aqueles que trabalham para eles e devem evitar fazer ameaças.

 

Os perigos

Há certas áreas relacionadas ao trabalho em que se deve tomar um cuidado especial para evitar as armadilhas de Satanás. É importante que a necessidade de trabalhar e de se sustentar não se corrompam tornando-se ganância e cobiça. Há pessoas que ficam possuídas pelo trabalho e pelo dinheiro e agem desonestamente para conseguirem mais. Outras fazem do trabalho um deus que lhes domina todo o ser. Deus deve ser a prioridade máxima. Jesus descreveu um rico fazendeiro que usou toda a sua energia em seu trabalho; o fim dele foi muito triste (veja Lucas 12:15-21). Jesus concluiu a história desta forma: “Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus” (Lucas 12:21). Outros textos falam do contentamento e do grande perigo de amar o dinheiro (veja Mateus 6:19-21; 1 Timóteo 6:6-10).

O cristão deve trabalhar com diligência, mas jamais deve fazer do trabalho um deus.

Por Gary Fisher

1+

O trabalho instituído e regulamentado biblicamente.


1+
  • O que a Bíblia diz sobre adoção? Ou ter filhos adotivos?


Observações: Este artigo é da inteira responsabilidade da Got Questions. A RGOSPEL STP não se responsabiliza pelo seu conteúdo, pois o mesmo só foi republicado. Que Deus abençoe a sua vida nesta leitura.

 

Adoção pode ser uma boa alternativa para pais biológicos que, por vários motivos, talvez não possam cuidar de seus filhos. Pode também ser uma resposta de oração para muitos casais que não podem conceber seus próprios filhos. As Escrituras falam de adoção de uma forma bem favorável e como uma forma que Deus usa as pessoas para fazer Sua vontade e trazer-Lhe glória.

Há uma história no livro de Êxodo sobre uma mulher hebreia chamada Joquebede, a qual deu à luz a um filho durante o período que o Faraó (o rei) tinha ordenado que todos os bebês machos fossem mortos para controlar a população (Êxodo 1:15-22). Joquebede preparou uma cesta com barro e betume, e pôs o bebê às margens do rio. Uma das filhas de faraó viu a cesta e apanhou a criança. Ele acabou sendo adotado à família real e chamado de Moisés. Ele se tornou um servo fiel e abençoado de Deus (Êxodo 2:1-10).

No livro de Ester, uma linda menina chamada Ester, a qual foi adotada pelo seu primo depois da morte de seus pais, tornou-se uma rainha e Deus a usou para trazer libertação ao povo judeu. No Novo Testamento, o filho único de Deus, Jesus Cristo, foi concebido através do Espírito Santo ao invés da semente do homem (Mateus 1:18). Ele foi adotado e criado pelo marido de Sua mãe, José, o qual cuidou de Jesus como seu próprio filho.

Quando entregamos nossos corações a Cristo, acreditando e confiando n’Ele para nossa salvação, Deus diz que nos tornamos parte de Sua família – não através do processo natural de concepção humana, mas através de adoção. “Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez, atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, {Aba; no original, Pai} Pai” (Romanos 8:15). Incluir uma pessoa à família através de adoção é feito por escolha própria e por amor. “…nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade” (Efésios 1:5).

 

É bem claro que adoção – tanto no sentido físico como no espiritual – é mostrada de uma forma favorável por todas as Escrituras. Tanto aqueles que adotam quanto os que são adotados podem receber bênçãos e alegria em abundância.

1+
  • O que diz a Bíblia a respeito do controle de natalidade? Os cristãos devem fazer o controle de natalidade?


Observações: Este artigo é da inteira responsabilidade da Got Questions. A RGOSPEL STP não se responsabiliza pelo seu conteúdo, pois o mesmo só foi republicado. Que Deus abençoe a sua vida nesta leitura.

 

Deus mandou ao homem: “Frutificai e multiplicai-vos” (Gênesis 1:28) e o casamento foi instituído por Deus como um ambiente estável para ter e criar os filhos. Em nossa sociedade, os filhos são frequentemente considerados como dificuldade e fardo. Atrapalham o desenvolvimento da carreira profissional das pessoas, objetivos financeiros e eles “atrapalham a vida social”. Frequentemente, o egoísmo é a raiz do uso de contraceptivos.

Gênesis 38 nos fala dos filhos de Judá, Er e Onã. Er se casou com uma mulher chama Tamar, mas ele era mau e o Senhor o matou, deixando Tamar sem marido ou filhos. Tamar foi dada em casamento ao irmão de Er, Onã, de acordo com a lei matrimonial do levirato em Deuteronômio 25:5-6. Onã não desejou dividir sua herança com nenhum filho que pudesse gerar com Tamar no lugar de seu irmão, e então ele praticou a mais antiga forma de controle de natalidade (coito interrompido). Gênesis 38:10 diz: “E o que fazia era mau aos olhos do Senhor, pelo que também o matou.” A motivação de Onã era egoísta: ele usava Tamar para seu próprio prazer, mas se recusava a fazer seu dever “de irmão” de criar uma herança para seu irmão morto. Esta passagem é frequentemente apontada como evidência de que Deus não aprova o controle de natalidade. Contudo, não foi o ato da contracepção que fez com que o Senhor matasse Onã, mas sim os motivos egoístas por detrás de seu ato.

Estes são alguns versículos que descrevem os filhos pela perspectiva de Deus. Os filhos são um presente de Deus (Gênesis 4:1; Gênesis 33:5). Os filhos são herança do Senhor (Salmos 127:3-5). Os filhos são uma bênção de Deus (Lucas 1:42). Os filhos são a coroa dos velhos (Provérbios 17:6). Deus bendiz a mulher estéril com filhos (Salmos 113:9; Gênesis 21:1-3; 25:21-22; 30:1-2; I Samuel 1:6-8; Lucas 1:7, 24-25). Deus forma os filhos no ventre (Salmos 139:13-16). Deus conhece os filhos antes de seu nascimento (Jeremias 1:5; Gálatas 1:15).

É importante que vejamos os filhos como Deus os vê, não como o mundo nos diz que deveríamos vê-los. A Bíblia não proíbe a contracepção. A contracepção, por definição, é meramente o oposto da concepção. Não é o ato da contracepção em si que é certo ou errado. Como aprendemos de Onã, é a motivação por detrás da contracepção que determina se esta é certa ou errada. Se uma pessoa pratica a contracepção porque quer ter mais para si mesmo, então é errada. Se uma pessoa está praticando a contracepção para temporariamente deixar de ter filhos até que esteja mais madura e mais preparada financeira e espiritualmente, então é talvez aceitável o uso da contracepção por algum tempo. Mais uma vez, tudo é questão da motivação.

A Bíblia sempre apresenta o fato de ter filhos como algo bom. A Bíblia “espera” que um marido e esposa tenham filhos. A incapacidade de ter filhos é sempre apresentada na Escritura como algo mau. Não há ninguém na Bíblia que tenha expressado o desejo de não ter filhos. Nós definitivamente acreditamos que todos os casais (casados) devem procurar ter filhos. Ao mesmo tempo, não cremos que possa ser discutido pela Bíblia que seja explicitamente errado usar o controle de natalidade por algum tempo. Todos os casais devem buscar a vontade do Senhor em relação a quando devem tentar ter filhos, e quantos filhos devem buscar ter.

1+
RADIO ONLINE STP
Usuários Online
2 Users Online
NOSSO APLICATIVO
PARCEIROS GOSPEL

Yeshua-Home O SEU LAR DE SALVAÇÃO